Digital clock

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Nick Vujicic, evangelista que não tem braços e pernas, anuncia nascimento de seu primeiro filho. Veja foto

Nick Vujicic, evangelista que não tem braços e pernas, anuncia nascimento de seu primeiro filho. Veja foto
O evangelista Nick Vujicic, conhecido mundialmente por não ter braços e pernas, anunciou através de sua página no Facebook que seu primeiro filho, Kiyoshi, nasceu no último dia 13 de fevereiro.
Nick publicou uma imagem do bebê deitado em seu peito, e na descrição, agradeceu pelas manifestações de carinho: “Muito obrigado a todos por todo seu amor e orações! Kiyoshi James Vujicic nasceu com 3,63 kg e com 55 cm. Mamãe, Kanae, o fez excelente”
Segundo informações do Gospel Herald, Nick Vujicic e Kanae Miyahara se casaram há um ano na Califórnia, e devido a sua deficiência física, o evangelista usa sua aliança como um pingente. A ausência de membros superiores e inferiores é resultado de uma síndrome de nascença, chamada tetra-amelia.
Além de evangelista, Nick Vujicic é também escritor, e publicou o livro “Vida Sem Membros”, e se tornou um exemplo de superação e fé através de palestras em mais de 25 países ao redor do mundo, falando sobre a vida ao lado de Deus e a mudança proporcionada por esse relacionamento com Ele.
Numa de suas frases mais conhecidas, Nick diz que a noção de satisfação vem do conhecimento da verdade: “Eu encontrei o sentido de minha existência e também o propósito de minha circunstância. Porque eu tenho visto muitas pessoas completas por fora mas que não conhecem a verdade. É a verdade que te liberta e quem o filho liberta é livre de fato”.
Veja a foto de Kiyoshi James Vujicic:
nick-vijicic-son
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Pastor Pat Robertson afirma que o Islã não é uma religião, mas um “sistema econômico demoníaco”

Pastor Pat Robertson afirma que o Islã não é uma religião, mas um “sistema econômico demoníaco”
O pastor e apresentador de TV Pat Robertson falou sobre o islamismo em seu programa de TV, “The 700 Club”. Controverso, o cristão conservador afirmou que o Islã não é uma religião, mas sim um sistema econômico e político.
- Não acredito em chamá-lo de religião, é mais um sistema econômico e político com um verniz religioso – afirmou Robertson, que disse ainda se tratar de uma “religião do caos”, formada por pessoas com uma raiva demoníaca.
- Estas pessoas estão sempre com raiva, é quase como se fosse uma influência demoníaca que está levando-os a matar e mutilar, destruir e se explodir – disse o pastor.
Segundo o Huffington Post, esta não é a primeira vez que Robertson se pronunciou sobre o Islã.
Depois de um massacre envolvendo militares norte americanos, em 2009, Robertson afirmou não só que o Islã “não é uma religião”, mas também que ele o vê como “um violento sistema político focado na derrubada dos governos do mundo e em planos de dominação mundial”.
Em comentários relacionados em setembro passado, Robertson brincou em uma chamada para o “The 700 Club” dizendo que deveria tornar-se um muçulmano para que pudesse ser desrespeitoso com sua esposa.

Após renúnia ao papado, Bento XVI deve permanecer no Vaticano para não responder na Justiça por crimes da Igreja

Após renúnia ao papado, Bento XVI deve permanecer no Vaticano para não responder na Justiça por crimes da Igreja
O jornalista britânico Geoffrey Robertson, autor do livro “O Papa é o Culpado?”, afirmou que após a renúncia ao pontificado, Joseph Ratzinger poderá responder na Justiça por abusos que a Igreja Católica teria cometido durante sua gestão.
Especialista em temas relacionados ao catolicismo, o jornalista afirma que Ratzinger teria responsabilidade em “crimes contra a humanidade” desde 1981, quando passou a comandar a Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), órgão do Vaticano que fiscaliza a conduta dos padres. O jornalista afirma ainda que, embora os arquivos daquele tempo sejam sigilosos, cartas do alemão surgiram em vários processos judiciais nos Estados Unidos, sempre defendendo padres pedófilos e estupradores.
De acordo com o Jornal do Brasil, o jornalista explica que ao deixar o papado, Bento XVI perderá sua imunidade como chefe de estado, e pode responder por crimes cometidos por sacerdotes católicos que estavam sob sua liderança.
- Como um chefe de Estado – o que, na prática, é o Vaticano – o papa Bento XVI tem imunidade. Mas isso mudará após sua renúncia. Muitas vítimas molestadas por padres protegidos pelo Cardeal Ratzinger gostariam de processá-lo pelos estragos de sua negligência. Ao sair do Vaticano, um tribunal cuidará desses casos – escreveu Robertson.
Porém, uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo revelou que Joseph Ratzinger ficará dentro do Vaticano depois de sua renúncia, o que garantiria a manutenção de sua imunidade, evitando que o religioso enfrente a justiça. A justificativa para sua permanência no Vaticano é a de garantir sua tranquilidade para rezar e estudar pelo resto de seus dias, mas fontes na Santa Sé confirmaram que a manobra garantirá sua imunidade legal, blindando o pontífice de qualquer tipo de processo que eventualmente seja lançado sobre os escândalos de pedofilia que assolaram a Igreja nos últimos dez anos.
Outro motivo para que o papa permaneça dentro da Santa Sé, mesmo diante da polêmica em relação a ter dois papas dentro do mesmo território, é o de não criar um segundo lugar de peregrinação, o que acentuaria a existência de dois papas. O temor é que, se ele optasse por ir a um monastério na Alemanha, o local poderia acabar se transformando em atração para os fiéis.
Mas, segundo a Folha, o aspecto mais importante da decisão de ficar dentro do Vaticano seria suas garantias jurídicas e sua capacidade de manter sua imunidade. A Igreja diz não acreditar que processos contra o papa possam surgir. Mas, diante de uma série de casos polêmicos em vários países, a opção foi por não arriscar.

Programa de combate ao crack multiplica número de atendimentos a dependentes químicos

Programa de combate ao crack multiplica número de atendimentos a dependentes químicos
Após pouco mais de um mês do início da medida conjunta entre o governo do estado de São Paulo, o Ministério Público, a OAB e a Justiça para a internação compulsória de dependentes químicos da região da cracolândia, em São Paulo, o número de pacientes que buscam ajuda se multiplicou.
A medida que prevê a internação compulsória foi amplamente divulgada pela mídia, dado o tamanho do problema envolvendo as drogas na capital paulista, especificamente o crack. Essa divulgação motivou dependentes a buscarem ajuda espontaneamente, de acordo com informações do Jornal Nacional, da TV Globo.
Anteriormente, semanalmente 30 dependentes químicos buscavam ajuda no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod). Agora, quase o dobro desse número buscam ajuda diariamente no local. Uma ampliação de emergência teve que ser implantada no local para atender a demanda.
“Quatro anos fumando crack. O meu irmão me viu fumando e quis experimentar também, e entrou também nessa vida”, conta um dos dependentes entrevistados pela reportagem, e que estão sendo atendidos pelo Cratod. “Eu passo madrugadas atrás deles. É sair fora de casa, com quatro dias, que eles vão voltar. Sai bem bonito, bem arrumado. Volta todo maltrapilho, naquele estado, sabe, lamentável”, revela o pai dos adolescentes.
Com o atendimento prestado pelo Cratod, o jovem afirma que vai tentar uma nova vida após o tratamento: “Eu pretendo mudar de vida, porque isso não é vida para ninguém”.
Rosângela Elias, coordenadora de Álcool e Drogas da Secretaria Estadual da Saúde, ressalta que essa evolução é apenas o começo de uma longa batalha, e que o envolvimento da sociedade é essencial: “A internação não é a garantia de uma abstinência. A reinserção é que vai dar essa garantia de um melhor desempenho. A família é fundamental nesse processo. A família, apoiando esse projeto terapêutico que será construído de tratamento, ajudando na reconstrução dos sonhos e da história dessa pessoa”, destaca.
Um dado que chama a atenção é que até hoje, nenhuma internação compulsória – ou seja, sem o consentimento do dependente – precisou ser feita, pois as pessoas que precisam do tratamento acabam convencidas a aderir ao programa.

Aos 89 anos, falece o evangelista internacional Thomas Lee Osborn

Aos 89 anos, falece o evangelista internacional Thomas Lee Osborn
Na última sexta feira (15) faleceu, aos 89 anos, o evangelista norte americano Thomas Lee Osborn, também conhecido com T. L. Osborn. Conhecido primordialmente por seu ministério de cura em massa a milhões de pessoas, Osborn faleceu cercado por quatro gerações de sua família, pouco depois de pedir ao Seu Senhor Jesus: “Leve-me para casa!”, segundo informações do Charisma News.
Amigo próximo do missionário R.R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça, o evangelista esteve no Brasil em 2012 e pregou na igreja liderada pelo pastor brasileiro.
Além de evangelista mundial e missionário, o reverendo T. L. Osborn foi também um estadista, maestro, pianista, autor, editor, linguista, desenhista, e administrador. Ao lado de sua esposa, Daisy, Osborn liderava seu ministério no “Quartel General” que estabeleceu em Tulsa, Oklahoma, no ano de 1949.
Segundo sua filha, Dra. LaDonna Osborn, que anunciou a morte do pai no Twitter, o evangelista “não sentia dores nem estava doente”, e faleceu em paz.
Quem foi Thomas Lee Osborn:
Nascido no dia 23 de dezembro de 1923 na cidade de Pocasset, em Oklahoma (EUA). Thomas Lee Osborn era casado com a Dr. Daisy Osborn, e ao seu lado liderava um ministério, iniciado em 1949. T.L. Osborn e Daisy Osborn casaram-se com as idades de 17 e 18 anos respectivamente, e, já com 20 e 21 anos de idade foram missionários na India. Seu ministério era conhecido, sobretudo, pelos trabalhos de cura e libertação em massa.
De acordo com a Wikipédia, o Rev. Osborn “foi o primeiro evangelista missionário a ir em campos abertos e parques nas nações não cristãs, para proclamar a Jesus Cristo e orar por milagres. Os filmes e vídeos de documentários de Milagres de Osborn têm sido exibidos em 70 línguas em muitas aldeias e povos. O Programa de Assistência Missionária Nacional Osborn tem sustentado homens e mulheres nativos como missionários. Também tem estabelecido novas igrejas que tem se tornado auto-suficientes”.
Segundo o site Ongrace.com, em mais de 60 anos de ministério, Osborn e sua esposa pregaram a milhões de pessoas em mais de 90 países, chegando a reunir multidões com até 300 mil pessoas. Além do trabalho missionário, T. L. Osborn é também autor do livro “Curai enfermos e expulsai demônios”, considerado um bestseller desde que foi lançado no ano de 1951. Entre seus livros mais conhecidos estão também: “O melhor da vida” e “Você é o melhor de Deus”.

Pastor coreano cria “caixa para depósito”, para recolher bebês abandonados na igreja

Pastor coreano cria “caixa para depósito”, para recolher bebês abandonados na igreja
O pastor sul coreano Lee Jong-rak criou em sua igreja um projeto para auxiliar as centenas de bebês indesejados que são abandonados nas ruas de Seul, Coréia do Sul, a cada ano. Diante do grande número de crianças nascidas em famílias pobres que não tem condições de cuidar delas, ou nascidas com deficiência física e mental e que são rejeitadas, o pastor criou uma “caixa para depósito” para as mães deixarem seus filhos para serem cuidados por ele e sua Igreja.
Intitulado “The Drop Box” (A Caixa de depósito), o projeto sofreu duras críticas quando foi criado, sendo acusado de incentivar as mães a abandonarem seus filhos. Porém, o pastor continuou firme com o trabalho e hoje recolhe bebês e crianças pequenas que são deficientes, e que muitas vezes a família alega não poder cuidar, pelo fato de ser pobre, e acaba as abandonando na rua para morrer.
O pastor afirma também que criou o projeto com o objetivo de alertar a sociedade do que estava acontecendo e disse que: “não haveria necessidade da caixa de depósito se as autoridades e a própria sociedade dessem total auxilio e ajuda as crianças abandonadas”. Ele afirma também que espera que os serviços sociais aumentem e passem a atender as famílias e mães solteiras, dando assistência total nestas situações, de forma que elas não precisem abandonar seus filhos e o projeto da “caixa de depósito” venha se tornar desnecessário.
A história do projeto incentivou, inclusive, a produção de um documentário, que vai retratar o árduo trabalho do pastor Lee e sua equipe para cuidarem dessas crianças. De acordo com o Charisma News, o filme será rodado pelo jovem produtor de cinema Brian Ivie, 22 anos, que vai abordar toda a história do pastor em um documentário chamado “The Drop Box” (A Caixa de depósito).

“Matei meu bebê. Deus, me leva”, teria dito Oscar Pistorius, atleta acusado de assassinar a namorada

“Matei meu bebê. Deus, me leva”, teria dito Oscar Pistorius, atleta acusado de assassinar a namorada
O caso de assassinato da modelo Reeva Steenkamp, namorada do atleta olímpico e paralímpico Oscar Pistorius tem causado perplexidade mundo afora.
Reeva foi encontrada morta na última quinta-feira, 14 de fevereiro, na casa de Pistorius, com quatro tiros na cabeça e um dos braços.
O atleta sul-africano é acusado de assassinar a namorada intencionalmente. Pistorius alega que atirou por suspeitar que havia um ladrão em sua casa. O condomínio em que o atleta vive possui histórico de invasões, segundo relatos de vizinhos.
O crime aconteceu na data em que diversos países comemoram o Dia dos Namorados, ou Valentine’s Day, como é chamado.
Numa ligação para um amigo, chamado Justin Divaris, Oscar Pistorius teria confessado que atirou na namorada.
Segundo informações divulgadas pelo jornal inglês The Sun, a ligação para o amigo teria acontecido antes de o atleta acionar o serviço de emergência.
“Meu bebê, eu matei meu bebê. Deus me leva”, teria dito Pistorius na ligação ao amigo, que relatou a conversa durante a ligação telefônica: “É tudo muito triste. Oscar me ligou às 3h55 dizendo que Reeva foi baleada. Eu disse, ‘O que você está falando? Eu não entendo’. E ele repetiu: ‘Houve um terrível acidente, eu atirei em Reeva’”.
Segundo Justin, quando ele foi à casa de Oscar Pistorius, não pode entrar para falar com o amigo, pois a polícia já havia chegado ao local: “Foi muito traumático. Mas nós podemos ver Reeva através da porta deitada, coberta com cobertores e toalhas”.
A acusação formal já foi feita e hoje, 19 de fevereiro, Oscar Pistorius compareceu à primeira sessão de julgamento do tribunal na cidade de Pretória.

Pastor acusa Google de consagrar sistema Android, de smartphones e tablets, ao diabo: “Projeto diabólico”

[Vídeo] Pastor acusa Google de consagrar sistema Android, de smartphones e tablets, ao diabo: “Projeto diabólico” O sistema operacional de smartphones e tablets mais usado no mundo seria uma estratégia demoníaca para escravizar pessoas, segundo o pastor Juninho Lutero.
Num vídeo publicado no Youtube, Lutero acusa o sistema Android, do Google, de ter alcançado sucesso por ser uma “consagração demoníaca” e “fazer parte de um projeto diabólico que pretende escravizar as pessoas” por meio de sua praticidade.
Todo o alarde foi feito após um membro da denominação de Juninho Lutero, que é usuário do sistema, descobrir uma imagem embutida chamada Gingerbread (foto) que faz parte da versão 2.3 do Android, onde o mascote do sistema aparece ao lado de bonecos que se assemelham a zumbis e um biscoito comum nos Estados Unidos durante as festas de Natal e Halloween.
Segundo o Google, todas as versões do Android recebem uma imagem, numa prática apelidada pela empresa de Easter Egg. Essas imagens são desenhadas e intituladas por artistas contratados pela empresa para ilustrarem doces da culinária norte-americana. O contexto das ilustrações fica a critério dos artistas, segundo informações do site Tech Tudo. No caso da versão 2.3 do Android, a Easter Egg chama-se Gingerbread.
A grande repercussão do vídeo de Juninho Lutero – que já superou 395 mil visualizações – levou o artista Jack Larson a publicar um texto explicativo sobre suas referências para o desenho e o uso de zumbis, um gosto pessoal:“Eles sugerem que a obra de arte é satânica, e simboliza uma sinistra conspiração para a robotização das massas com a tecnologia, como parte da regra vinda do anticristo [...] Ela é apenas mais um exemplo do conceito Android, embora de uma forma mais primitiva. O forno, simbolizando o útero, é o recipiente fechado onde é trazido à vida por meios misteriosos. Hoje, o laboratório de informática seria o equivalente. Zombies são levantados do túmulo – e a sepultura é apenas uma outra forma de ‘útero’ – onde a centelha da vida estão reinando. Assim, a pintura poderia ser usada para simbolizar a antiga fusão com o moderno, uma síntese de magia antiga e moderna tecnologia”, escreveu o artista em seu site.
Alvo de críticas devido às especulações feitas no vídeo, o pastor se isentou de maiores responsabilidades numa publicação feita em sua página no Facebook: “Depois de ver tantas criticas principalmente de crentes dispersos do mundo espiritual sobre meu último vídeo falando sobre a mensagem satânica oculta no sistema Android, a mensagem aqui é uma só: Deus é bom e o diabo não presta!”.

Pastor afirma que a “idolatria é a questão número um na Bíblia”, e isso tem passado despercebido dos cristãos

Pastor afirma que a “idolatria é a questão número um na Bíblia”, e isso tem passado despercebido dos cristãos O pastor e escritor Kyle Idleman está lançando um novo livro, intitulado Gods at War: Defeating the Idols That Battle for Your Heart, ainda sem uma versão em português, mas que pode ser traduzido livremente como “Deuses em guerra: como derrotar os ídolos que batalham por seu coração”.
Kyle é pastor da megaigreja  Southeast Christian Church, em Louisville, Estados Unidos, e autor do best-seller Not A Fan, e em seu novo livro, fala sobre o problema da idolatria, que segundo ele atinge a todos, mas é um dos problemas enfrentados pelos cristãos e menos reconhecidos atualmente.
“E se eu lhe dissesse que cada pecado com que você luta e até mesmo a falta de propósito que você está vivendo, são por causa da idolatria? Idolatria parece tão primitivo, tão irrelevante… E ainda assim, a idolatria é a questão número um na Bíblia, e por isso deve levantar cautela”, escreveu o pastor, segundo informações do Noticia Cristiana.
Segundo ele, a idolatria é “um grande pecado que ocorre a todos”, e é necessário abrir os olhos para os cristãos usando uma definição mais atual de ídolo: “Algo que toma o lugar de Deus, que se torna um fim em si, que ocupa o trono de seu coração, em vez de Deus”, alerta Kyle, que frisa: “Tudo se resume ao que está acontecendo em seu coração. E é por isso que Jesus colocou tanta ênfase nessa questão. O coração é o campo de batalha dos deuses, porque tudo flui a partir dele”.
A definição de ídolo tornou-se algo subjetivo na atualidade, ainda mais se forem consideradas as definições dadas para ídolos no Velho Testamento, como estátuas de pessoas ou animais. Kyle Idleman afirma que a busca por sucesso, ou até mesmo a família, podem se tornar ídolos, porém esses são os mais difíceis de detectar.
Os mais comuns, segundo o pastor, são as coisas que tem ocupado a mente e o coração das pessoas na atualidade: comida, sexo, entretenimento, sucesso, dinheiro, realização, romance, família, entre outros: “Se você começar a gravar qualquer luta que estamos tentando, eventualmente, você vai se achar seguindo a um deus falso. Quando esse deus for destronado, e o Senhor Deus tenha o seu lugar de direito, você terá a vitória… A idolatria não é um problema. É o problema”, define.

projeto Almas para o Reino de Deus distribui alimentos e roupas a moradores de rua

Evangelismo Social: projeto Almas para o Reino de Deus distribui alimentos e roupas a moradores de rua O projeto de evangelismo social Almas para o Reino de Deus é uma iniciativa para distribuição de alimentos, agasalhos, cobertores e Bíblias a moradores de rua, desenvolvida pela Igreja Fé sem Limites nas ruas de Belo Horizonte, Minas Gerais.
A ideia da iniciativa partiu da missionária Claudirene Roque Silva e conta com o apoio do pastor Arildo, líder da denominação. Claudirene conta que a inspiração para o projeto veio da ordenança de Jesus em Marcos 16:15 e que o projeto é mantido com ajuda de irmãos, amigos e familiares: “Atuamos nas ruas de Belo Horizonte e pedimos doações de alimentos, entre outros. Fazemos o alimento, montamos em média de 350 a 400 marmitas, fazemos um suco e levamos água filtrada e gelada. Saímos para fazer o trabalho evangelístico com os moradores de rua, pois esse trabalho foi algo que o Senhor  colocou em meu coração quando eu buscava uma resposta ministerial para minha vida. Iniciamos o projeto no mês de setembro de 2011, com uma pequena equipe de seis pessoas, onde eu mesma fiz a doação dos alimentos porque não tínhamos nada”, relata a missionária.
A igreja Fé sem limites, uma das parceiras do projeto, fica localizada na Rua Copacabana, 159 – Urca, Belo Horizonte. A igreja contribui com o projeto, além de incentivar a equipe de evangelismo a comparecer nos dias em que as ações junto aos moradores de rua estão sendo realizadas.
A próxima edição do evangelismo social ocorrerá no dia 01 de março, e a missionária Claudirene afirma que ainda são necessárias doações para complementar a quantidade necessária para atender os moradores de rua.
Claudirene revela que através do projeto Almas para o Reino de Deus, muitos moradores de rua já tiveram transformação de vida: “Hoje estamos com três pessoas em uma casa de recuperação, e temos visto a transformação do senhor nessas vidas. O projeto é que se responsabiliza por eles na casa, e buscamos colaboradores e patrocinadores para mantermos eles em tratamento. Muitos outros querem sair das ruas e nos pedem ajuda, porém infelizmente ainda não temos condições de ajudar a todos”, comenta.
A missionária pede doações de roupas, cobertores e alimentos para as ações junto aos moradores de rua, e quantias em dinheiro para que possam sustentar o tratamento das pessoas que foram internadas em casas de recuperação de Belo Horizonte através do projeto.
Para saber mais detalhes sobre as necessidades do projeto, entre em contato através dos telefones (31) 8559-5962 / 8644-3980 / 9307 5068 / 9435- 3024 e informe-se sobre valores e materiais necessários para que o projeto possa ser mantido.
Se desejar enviar peças de roupas, cobertores, alimentos não perecíveis, Bíblias ou outros, o endereço para recebimento das doações é Rua Beira Mar nº 300 – Urca, Belo Horizonte. “Nós mesmos da equipe ajudamos com o que podemos. O projeto precisa de ajuda para registrar uma ONG. Temos uma visão de uma casa de recuperação, mas precisamos de recursos financeiros. Agradecemos por ter conhecido nosso projeto, e esperamos que você considere nosso pedido”, afirma a missionária Claudirene.